domingo, 4 de março de 2012

Me verso no teu verso.

Para o Poeta Chico Buarque.
Não me importa o dia sem você
Porque eu nunca o vi, mas te sei
Que está bem bastante, a viver
Como quem há de coroar rei.

Não há poeta contemporâneo
Que se achegue em tua beleza
Que há de ser tão espontâneo
Ao se irradiar de tua nobreza.

Você é todo verso-poeta de violão
Que é composto o rei metrificado
Acho que deve acalmar o coração
Andar por aí, de poesia, lambuzado.

Quando combina os olhos verdes
A morder os lábios e me embalar
A sua saliva me mata é de sede
E em seus acordes aprendi a voar.

Porque não há surf que compare
Com teus bonitos poemas assim
Feito pra que tanto me ampare
O coração infestado de capim.

Me escondo dentro da gaveta
Pro teu amor não me reconhecer
Te poetei este nosso planeta
Que é pra ninguém nos maldizer

Quero o teu amor sem descanso
E sorrir chorando o teu descaso
Mas não te verso o mundo manso
Pois na primeira brecha nos caso.

4 comentários:

  1. Ó, nunca deixe de ser assim, tá? Essa pessoa linda que tu és.

    ResponderExcluir
  2. "E em seus acordes aprendi a voar" Preciso te admitir uma coisa: voei. Ele sempre me faz voar mas havia tempo que eu não voava como voei agora. Voei tão alto que senti-me cheia de uma emoção a ponto de quase deixar lágrimas caírem de meus olhos enquanto o meu coração sorria. Mas reconheço que se não fosse por ele, não teria voado agora nem nunca. Esta força que deu-me força para lançar-me aos céus, veio através de suas palavras que trouxeram-me a querida lembrança do dia em que vi o meu amado, Chico.

    ResponderExcluir
  3. Conseguiste embelezar ainda mais o moço dos olhos de mar. E olha que beleza já não lhe faltava! As suas palavras são mágicas! Que delícia de lê-las...não se pode explicar!

    Beijos, amada minha <3

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...