domingo, 18 de dezembro de 2011

Diz, mãe. Diz, mundo.

Talvez seja o Natal,
Talvez o Carnaval
Talvez o Ano Novo
Que mexe com o povo
Talvez já seja hora
Da gente ir embora
Procurar o que fazer
E ser quando crescer

Porque não sou agora?
Diz mãe, minha senhora,
O que o mundo quer de mim
Não dá só pra ser assim?
Meio poeta do mundo?
Que chora esse segundo
Perdido na minha vida
Que passa tão corrida
Sem nem dizer adeus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...