domingo, 30 de outubro de 2011

Chorei um ácido poema.

Choro um ácido poema
Que talvez crie uma cena
Que também faça chorar
Os versos que soube rimar
Nas noites desesperadas
Que esquinas berravam paradas
Pela menina do adeus
Que pediu pro seu Deus
Uma chance ao amor
Mesmo que haja dor
E que tenha de chorar a maldade
Se encontrará com minha saudade
Que se desfigurou
No poema que chorou
Dizendo “Eu sinto sua falta”
Entenda, o amor não tá em alta.

Um comentário:

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...