segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Fazer poesia é melhor que fazer sexo.

Fazer poesia é melhor que fazer sexo
Há prazer maior que um verso de amor?
Um poeta já me disse que ser virgem
É ser amada por um poeta apaixonado.
Há prazer maior que ganhar
Dez mil versinhos cobertos de beijinhos
Que ultrapassam a distância?
Você pode estar na Terra
Mas te trago até a Lua
Ao te tragar.
A poesia é uma forma de
Fumar a mulher amada
E aí você é poluído pelo amor.
E sabe que vai morrer
Mas sabe que isso é prazeroso
Como um “cheiro” no pescoço
Ou uma respiração quente na nuca
A mulher amada chega pertinho
A te poetar
Com a língua ágil
A lhe correr a boca
E com as mãos macias
A tocar no meu corpo
A mulher faz-me morto
Enquanto faço poesia
QUE SUFOCO!
Lhe escrevo todo dia
Mais um pouco
Pra me fazer antologia
Em seu corpo.

Por isso, mulher amada
Dá a língua aos editores
Zombe deles!
Que você ganhou um poeta
Que só quer morrer de amores
Enfeitiçado pela mulher amada
Mulher tragada, mulher beijada
Pelas minhas rimas não metrificadas.

2 comentários:

  1. Que delícia de poema...é por isso que é melhor que sexo, quando assim tão belo, diferente e bem feito traz uma sensação maravilhosa pra quem ler. Gostei demais das tuas palavras moça! Me encontrei muito aqui! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Surpreendeu, ok? Só tenho isso a dizer. Não há mais palavras.

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...