segunda-feira, 1 de agosto de 2011

E o céu resolveu chorar estrelas cadentes.

Senhora, hoje chora o céu.
Chora a noite: estrelas inquietas.
Para cada uma, uma lamúria.
Um desejo possivelmente impossível
Todas as estrelas caem sobre mim.
Chora céu!
Soterre meu corpo
Com todas estas mágoas
- de amantes, de poetas, de otimistas –
Chora céu!
Pois tuas estrelas tão bonitas,
Riem como o meu amor.

2 comentários:

  1. As gostas deste céu molharam minh'alma. Me purificou! Lindíssimo poema. Adorei, ma petite. Beijos. Au revoir :)

    ResponderExcluir
  2. Oii ,vi seu twitter no da daniela filipini, e vim aqui visitar! Adorei seu jeito de poesias .. estou lhe seguindo no twitter.
    Bjooos

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...