sábado, 20 de agosto de 2011

Apresento-lhes: minha namorada.


A minha namorada tem olhos de astronauta, porque ela vê uma imensidão tão bonita onde ninguém vê coisa alguma além de simplicidade, ela nasceu com os olhos perfeitos pra apreciar coisas que ninguém repara. Ela tem cores de aquarela nos lábios, seu beijo deve ter um sabor delicioso de uma mistura das cores do arco-íris. Quando abre a boca, saem nuvens de suas palavras, quando briga comigo, faz uma nuvem sobre a minha cabeça e o céu todinho chora, mas quando me fala coisas doces é como abocanhar algodão-doce, como saltar de nuvem em nuvem. A minha namorada gosta de ler poesia e mais, ela gosta de escrever poesia. Não conte pra ela, nem pra ninguém, mas ela é poesia, seu choro, seu riso, sua inquietação, sua simplicidade e sua alegria. Eu tento dizer, mas ela só sabe corar. Ah, quando ela cora, só vendo! Parece até que um dos melhores pintores, desses com as mãos de anjos, coloriram suas bochechas durante anos para expor, sem medo, uma linda obra de arte. A minha namorada mora longe, tão longe que tenho medo de pedir pra ela vir atrás de mim, tenho medo de tocar no assunto porque se eu dissesse, encontraríamos um problema. Nosso amor é tão natural que não precisa de problemas maiores que as soluções. Nós nos completamos tanto que nem percebemos que moramos longe, ela me conta do seu dia e eu conto do meu, mas na hora de dormir nós deitamos na nossa cama, quando fechamos os olhos, um encontra o outro e é carícias pra lá, beijinhos pra cá e uma beleza só! Quando ela acorda primeiro, fica me olhando e mexendo no meu rosto, quando eu acordo primeiro, deito a cabeça e respiro seu pescoço, pra deixá-la acreditar que sempre acorda primeiro; quando um de nós está atrasado, é guerra declarada e vence quem se rende as cócegas e levanta primeiro. A minha namorada gosta de me ouvir cantar e a minha platéia é sua respiração, eu canto e ela dorme, eu canto e ela ri, eu canto e ela cala. Mas não sou o único que canta não, ela canta também, canta tão bem. Ela decora os versinhos lindos e vai declamando com ritmo e tudo! Juro pra você! A minha namorada já me disse “eu te amo”, mas eu não disse, fiquei tão calado, tão perplexo que acabei não dizendo. Ela não se incomoda com essas coisas, mas eu não soube dizer, não ainda. Quando estou com ela me sinto boboca, quero surpreendê-la, sem deixar de ser eu, posso ser romântico sem hesitar também. Ela gosta de me ver atrapalhado, derrubando as coisas, me molhando, tomando banho de óculos, tropeçando nas próprias pernas e tentando decidir se inspiro ou respiro. A minha namorada já é gente grande, mas eu sou tão pequenininho... Ela nem liga, eu choro, coro, faço birra, rio, peço carinho, mimo, mas não deixo de ser sério quando tenho que ser, e forte e maduro. Mas maturidade demais é sinal de infantilidade, então tenho mesmo é que andar com as minhas pernas, porque andar com os braços não dá, plantar bananeira enjoa e quem anda assim vive tombando. A minha namorada sabe ser minha namorada, porém não sabe ainda, nem suspeita, mas, shhhhhh(!!!) não conte pra ela.   

3 comentários:

  1. Que coisa mais linda. Mais doce. Mais encantadora.
    É uma delícia ler esse texto, amor.
    Você é tão talentosa.

    <3

    ResponderExcluir
  2. QUE. COISA. MAIS. LINDA. Ou cousa, como você diz. Um encanto de se ler, Passarinho.

    ResponderExcluir
  3. Gosto da maneira q você vê o mundo, adorei a sua poesia. Vc me passa uma calma mt bonita ^^ Se todas as pessoas tivessem essa sintonia q envolve quem presta atenção nela. Aaain *-*

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...