segunda-feira, 11 de julho de 2011

A menina mais bonita (do canto) do mapa.

Havia lá no cantinho do mapa
Numa cidade escondida
Uma menina tão bonita
Que só dos sonhos não me escapa.

Aqui embaixo, no cantinho também, eu espero
Enquanto eu escrevo tantos versos para ela
Sobre como eu quero, como quero, como quero
Transformá-la em arte, com a minha aquarela.

Lá no cantinho do mapa
Onde só o mar alcança
As ondas batem na praia
Enquanto a menina dança.

Daqui envio uma carta
Dentro d’uma garrafa
Pra que antes que eu parta
Diga tudo que sinto

A menina não me lerá,
Mas irá sentir
Assim que se jogar ao mar.

E dará vontade de escrever um bilhete
Dizendo se sente também
E que da próxima vez que eu entrar no mar
Ela me fará refém.

6 comentários:

  1. Suas palavras fazem-me querer dançar, Hozze.

    ResponderExcluir
  2. Que delícia ler textos assim. Fazia tempo que não lia poemas tão suaves e encantadores como esse. Lindo demais, seguindo :*

    ResponderExcluir
  3. Como sempre encantando meu coração com suas poesias. Você é pura poesia, arte e canção. Te adoro, menina linda. Beijos. Au revoir.

    ResponderExcluir
  4. Lindo amor, lindo demais.
    Adorei o final.

    ResponderExcluir
  5. Sou uma eterna admiradora das suas poesias. Você sabe, né? O modo como você escreve e o modo como as palavras se encaixam, é apaixonante, amor. Você tem um talento e uma alma que encantam qualquer ser humano, e os que não se encantarem é porque são tolos.

    Linda poesia, lindo sentimento.

    Da sua (hoje e sempre) admiradora,

    Mar. ♥

    ResponderExcluir
  6. A menina virou arte com a sua aquarela. Lindo e suave o seu poema. Sou apaixonada por poesia, acho que as palavras viram música, sons aos olhos e ouvidos de quem lê. Parabéns. Primeira visita ao seu blog e já me encantei. Vou continuar lendo aqui. Beijos!

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...