domingo, 17 de julho de 2011

Deixarei minha Passarinha livre.

Sou um poeta apaixonado
Que seria eterno grato
Pelo amor que me daria.

Nada poderei dar-te senão
Poesias brotadas no coração
Mas que não lhe bastaria.

A distância sabe vingar
Os que ousam amar
Com versos poetados.

Mil poemas não diriam
Muito menos saberiam
O que tanto vi em você.

Mas só de pensar que outros
Te farão versos soltos
Já me deixa enfraquecido

E nas mãos que enlaçarão as tuas
E dos dias que olhará a rua
Com o coração partido.

Continuarei aqui, poetando
E acordado estarei sonhando
Com o sentido de tanto amor.

Mas a distância não é inimiga
Porém a muitos intimida
Por toda a sua audácia.

4 comentários:

  1. Passarinha, Passarinha, não sei se tenho um pássaro mas tenho algo dentro de mim que precisa falar.

    Distância me amendrota mas depende muito do contexto.

    E eu sinto que todos os meus versos são insuficientes.

    Foi um comentário aleatório demais?

    ResponderExcluir
  2. A distância é realmente audaciosa e me intimida. Você sempre vai me fazer relembrar minha época de escrever poesias. Ler suas poesias sempre me farão bem. Tens um jeito tão lindo de escrever, passarinha. Um beijo grande e um abraço, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
  3. Continue sempre poetando, minha querida. Seus versos me trazem encantamento! Beijos no seu coração. Amo-te <3

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...