quinta-feira, 26 de maio de 2011

Deixa a poesia chorar.

A poesia é como uma nuvem,
Não podemos prendê-la
Ela vem e se desfigura
Quando bem entende.

A poesia chora versos
Canta rimas e suspira
As estrofes.
Mas ela escapa e em dias
Muito ensolarados
Ela resolve ficar à espera.
E vem acompanhada
D’uma tempestade
E chove e molha
Me encharca e eu chovo
Me sacudo
E respingo

Lembro que a poesia é uma nuvem
E vai e vem quando bem entende
E não se pode prendê-la
Porque prender uma poesia não é como
Prender um passarinho.
Ela presa, não canta.

Poesia é água salgada
É água do mar
Água que não adianta só colocar açúcar
E fazê-la virar soro.
Água que exige cuidado
E a poesia é isso...
Água cuidada
Mas não do mar, é da gente
Porque o poeta chora versos
E escorre poesia.

3 comentários:

  1. Awn meu amor, coisa mais linda.
    Eu disse que a poesia voltaria... Basta esperar.
    Amo você.

    ResponderExcluir

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...