sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Súplicas à Poetisa.

Ó Poetisa dos versos nus
Tua calma é meu encanto
Justamente por vir de ti
Que canta pro céu azul
Tentando imitar os pássaros com seu canto.
Hipnotizadora da Lua,
O que há de fazer pra me salvar dos perigos noturnos?
Mande as estrelas, para que não se perca de mim.

Ó poetisa... Cante todas as manhãs
E me faça te confundir com os pássaros
Me desperte!
Poetisa.
Espiona-me todos os dias
Como um gato a espreitar da janela.
Ouça meu cantarolar desafinado
- E pra não perder o ritmo –
Mie-mie-mie pedindo bis
Com seu ronronar desajeitado
   Poetisa,  
Não vá embora ainda...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Como eu estou escrevendo?) Acrescente suas ideias, estrelinha...